Palavra Chave:


Conheça mais
    Faça sua reclamação
    Direitos de Família
    Direito Penal
    Direito Civil
    Direito Trabalhista
    Direito do Consumidor
    Direito Previdenciário
    Polícia
    Política
    Direito Procesual Civil
    Direito Previdenciário
    Direito Processual Penal
    Sua Saúde
    Noticias
    QUEM SOMOS
Arquivos
    Publicações
    Petições


Reclamação da internauta Ana Paula contra www.americanas.com.br
Reclamação: Comprei um notebook da marca ECS pela americanas.com e o equipamento deu defeito em março/07.Levei para...
Os esquecidos de Paranaguá
O olhar triste e vazio da estudante Juliana Beatriz Cachoeira, de 11 anos, revela a quase invisibilidade dos moradores...
veja mais

 

10/08/2009 - Adoção: vamos divulgar essa ideia

Gleisi Hoffmann

O que há de mais bonito do que o olhar de uma criança, de uma criança feliz? O brilho, a curiosidade, a satisfação com o descobrimento do novo nos contagiam. Por isso, toda a iniciativa que caminha no sentido de fazer com que cada vez mais crianças tenham olhares felizes merece nossos aplausos apoio e empenho.

Recentemente, o Senado Federal, mesmo em meio à crise política que vivencia, aprovou a proposta da senadora Patricia Saboya, do Ceará, instituindo a Lei Nacional de Adoção, o que fará o Brasil trilhar caminhos de possibilidade de uma vida legal, com família e brilho nos olhos para milhares de crianças.

Várias mudanças estão sendo sugeridas por esta proposta aprovada. Mas, acredito que as mais importantes estão ligadas a determinação máxima de tempo para abrigamento das crianças e a criação do conceito de família ampla.

A partir da entrada da lei em vigor nenhuma criança poderá ficar por mais de dois anos em abrigo ou casas lares. Ou ela volta para a família biológica, com segurança e dignidade, ou deverá ser adotada. A adoção poderá ser feita por maiores de 18 anos, independente do estado civil, e no caso de adoção conjunta exige que os adotantes sejam casados ou mantenham entre si uma união estável.

Já o conceito de família ampla prevê que, antes de uma criança ser levada a um abrigo, deverão ser esgotadas todas as possibilidades para que esta criança fique sob a guarda de um parente. O Estado deverá se empenhar para que a criança permaneça com a guarda sob a responsabilidade da família original ou, em caso de impossibilidade, com parentes próximos como avós, tios e primos. Mas jamais deixar que ela perca a infância em um abrigo dificultando a adoção.

Segundo dados oficiais, o cadastro nacional de pais adotantes conta atualmente com 22 mil candidatos enquanto duas mil crianças aguardam pela adoção. Situação que só se explica pelas dificuldades oferecidas pela legislação e também pela falta de informação. Por isso, está sendo proposta também a criação de cadastros nacional e estaduais de crianças e adolescentes em condições de serem adotados e de pessoas ou casais habilitados à adoção. Além de uma ampla campanha de incentivo a adoção voltada a crianças maiores.

Uma parte, portanto, está sendo feita. Mudanças na legislação para facilitar, tornar mais ágil e ao mesmo tempo mais seguro o processo de adoção. Agora, acho que falta a nossa parte. A responsabilidade da sociedade brasileira. Divulgarmos a ideia da adoção é uma responsabilidade de cada um de nós. As pessoas formam sua opinião sobre este assunto a partir de opiniões de pessoas que vivem esta realidade. Por isso é importante que cada um que seja pai ou mãe adotivo fale sempre o quanto é gratificante a experiência. A alegria que traz essa atitude tomada. Pois assim, tenho certeza venceremos mitos decorrentes da falta de informação e sensibilizaremos cada vez mais o judiciário e as instituições que trabalham com essa área.

De minha parte quero dizer a todos: é muito bom ser mãe adotiva.

Gleisi Hoffmann, que foi diretora financeira da usina hidrelétrica Itaipu Binacional, é advogada e presidente estadual do Partido dos Trabalhadores (PT).

O Estado do Paraná – 06-08-2009

Inserida por: Dr. Espirito Santo fonte:  O Estado do Paraná
Imprimir   enviar para um amigo
São 37 mil crianças em busca de pais
Apesar de a Lei da Adoção limitar em dois anos o período de permanência de meninos e meninas em abrigo, a quantidade de menores sem família só aumenta
Idosa fica 31 horas presa por não pagar pensão dos netos
A agricultora aposentada Luzia Rodrigues Pereira, 74, ficou 31 horas presa em uma cela da Cadeia Pública de Vianópolis, cidade de 12 mil habitantes do interior de Goiás, porque não pagou seis meses de pensão alimentícia aos quatro netos.
Justiça - Programa do CNJ ajuda 10 mil pessoas a achar o pai
Esse é o resultado do programa Pai Presente, lançado em agosto de 2010 pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), com o objetivo de agilizar os processos de reconhecimento de paternidade. A iniciativa estabeleceu medidas a serem adotadas pelos juízes e trib
Exame de DNA negativo não basta para anular registro de nascimento
Em primeira instância, a ação foi julgada improcedente em relação às duas, mesmo que uma delas não tivesse contestado o pedido. Para o juiz, embora o exame de DNA tenha oferecido resultado negativo para a paternidade, a ocorrência da paternidade socioafet
Débito ou crédito conjugal?
Esta não é a única referência a esse "direito-dever" que advém do Direito Canônico, chamado de jus in corpus, ou seja, direito sobre o corpo. Claro que é o direito do homem ao corpo da mulher, para atender ao dogma "crescei e multiplicai-vos".
Walter Ceneviva - Palmadas Inconstitucionais
PARA DISCUTIR a questão das palmadas proibidas, em projeto na Câmara dos Deputados, é preciso ler a Constituição, a começar do art. 226, o qual define, de início, a "especial proteção do Estado" para a família, certo que "os direitos e deveres referentes
Questão privada ou pública? - O amor acaba?
O casamento continua sendo o modelo familiar que mais gera bens aos indivíduos e à sociedade. Reconhecer a sua relevância não significa menosprezo em relação às pessoas que não querem se casar
Alienação parental: Judiciário não deve ser a primeira opção, mas a questão já chegou aos tribunais
Ainda uma novidade no Judiciário brasileiro, a alienação parental vem ganhando espaço no direito de família e, se não detectada e tratada com rapidez, pode ter efeitos catastróficos. "Síndrome da Alienação Parental" (SAP) é o termo proposto pelo psicólogo
Avós prestam alimentos aos netos somente quando provada a incapacidade do pai
Avós não podem ser chamados a pagar pensão alimentícia enquanto não esgotados todos os meios processuais disponíveis para forçar o pai, alimentante primário, a cumprir a obrigação. A incapacidade paterna e a capacidade financeira dos avós devem ser compro
Abandono afetivo de pai não gera indenização
PARA LER A MATÉRIA NA ÍNTEGRA, CLIQUE NO TÍTULO

Total de Resultados: 457

Mostrando a página 5 de um total de 46 páginas

InícioAnterior1234567891011121314PróximoFinal

  Cadastre seu email e receba as novidades do reclamando.com.br
Cadastrar | Remover