Palavra Chave:


Conheça mais
    Faça sua reclamação
    Direitos de Família
    Direito Penal
    Direito Civil
    Direito Trabalhista
    Direito do Consumidor
    Direito Previdenciário
    Polícia
    Política
    Direito Procesual Civil
    Direito Previdenciário
    Direito Processual Penal
    Sua Saúde
    Noticias
    QUEM SOMOS
Arquivos
    Publicações
    Petições


Coluna do Leitor – Gazeta do Povo
Acabo de voltar da República Dominicana. Baseei-me em informações de uma afamada revista de turismo e “quebrei a cara”....
Advogado se queixa que Claro enviou cobrança indevida -FATURA DA NET É 350% MAIS CARA, AFIRMA LEITOR -CLIENTE COMPRA 4 DVDs E DIZ TER RECEBIDO 1
DA REPORTAGEM LOCAL O advogado André Pereira Roquete reclama de uma fatura em aberto de seu celular Claro. Ele conta...
veja mais

 

22/10/2009 - Polêmica, penhora de bens feita pela internet dispara

Bloqueio on-line de contas passa de R$   196 mi em 2005 para R$   17,7 bi em 2008

 

Pelo sistema, BC repassa aos bancos ordens de bloqueios de contas feitos pela Justiça; advogados veem risco de levar empresas à falência

FREDERICO VASCONCELOS - DA REPORTAGEM LOCAL

Nos últimos quatro anos, os juízes bloquearam pela internet R$   47,2 bilhões em contas bancárias para garantir o pagamento de dívidas judiciais. A medida alcança principalmente empresas que enfrentam processos trabalhistas e devedores contumazes. Em 2005, o bloqueio on-line pela Justiça foi de apenas R$   196 milhões.

Trata-se da penhora on-line, ou Bacenjud. É o sistema pelo qual o Banco Central repassa aos bancos pedidos de informações e ordens de bloqueio de contas feitos por juízes. As respostas chegam em 48 horas.

O modelo sofre críticas de advogados, que veem ameaça ao direito de ampla defesa e risco de levar empresas à falência. Para juízes entusiasmados com a nova ferramenta, está mais difícil para o mau pagador processado por dívidas não honradas afirmar que deve, não nega, e só paga quando puder.

Até 2008, a Justiça do Trabalho liderava o confisco eletrônico. Os tribunais estaduais já aparecem como os maiores usuários do sistema. A legislação deixa a critério do juiz usar o papel ou o meio eletrônico, embora defina o segundo como preferencial. No ano passado, o CNJ (Conselho Nacional de Justiça) obrigou o cadastramento no Bacenjud de todos os juízes envolvidos com o bloqueio de recursos financeiros.

"O Bacenjud revolucionou o Judiciário. No Brasil, ninguém cumpria decisão judicial", diz o juiz Rubens Curado, secretário-geral do CNJ.

"A penhora on-line ajuda a acabar com a ideia de que é possível dever, não pagar e não acontecer nada", diz o juiz Tadeu Zanoni, da 1ª Vara da Fazenda Pública de Osasco (SP). Nos últimos seis meses, Zanoni fez 562 penhoras on-line.

Pela ordem, a preferência para a penhora é: dinheiro, imóveis e veículos. Desde junho último, os juízes paulistas podem usar a internet para agilizar a penhora on-line de imóveis. O sistema é operado pela Associação dos Registradores Imobiliários de São Paulo. Segundo o juiz Walter Rocha Barone, do Tribunal de Justiça de São Paulo, já foram feitas mais de 26 mil consultas e 631 averbações.

Desde 2008, os juízes podem acessar pela internet a base de dados do Renavam (Registro Nacional de Veículos Automotores) e determinar ao Detran o bloqueio de veículos para pagamento de dívida judicial.

Apesar das resistências, o sistema veio para ficar. Em 2003, o PFL (hoje DEM) questionou no STF (Supremo Tribunal Federal) a constitucionalidade da penhora on-line. Alegou risco de quebra do sigilo bancário e que pessoas e empresas eram "submetidas a tratamentos degradantes e coativos".

O BC defendeu o "revolucionário mecanismo de persuasão de devedores contumazes" e revogou alguns dispositivos impugnados. O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC entrou como parte interessada na ação. Sustentou que a categoria foi diretamente beneficiada pelo Bacenjud, que "diminui as chances de burla" no cumprimento das decisões judiciais na área trabalhista.

Parecer do então procurador-geral da República, Antonio Fernando Souza, sustenta que o sistema apenas substitui o que era feito no papel e "não afronta nenhum dos princípios do Estado Democrático de Direito". Souza pediu a rejeição da ação, cujo relator é o ministro Joaquim Barbosa.

"O bloqueio on-line seria justo se fosse aplicado a todos os devedores", diz o advogado Walter Ceneviva. "A magistratura não impõe ao Executivo a obrigação de pagar o que deve, como os precatórios que se arrastam por vários anos, mas usa indiscriminadamente o Bacenjud para facilitar a cobrança dos créditos do poder público", diz.

Abusos

O advogado Ives Gandra Martins diz que "tem havido muito abuso". "A penhora on-line só deveria ser utilizada em última instância, pois pode levar uma empresa à falência, ao bloquear, no final do mês, dinheiro que iria para fornecedores e empregados", diz.

Quando o juiz não tem a indicação prévia da conta bancária e da agência do devedor, a penhora on-line bloqueia todas as contas em diferentes bancos. Ou seja, na fase inicial, a medida pode superar o limite a ser apreendido. No caso de empresas, suspende o pagamento de cheques e débitos em conta para fornecedores e salários.

Atendendo a pedido do grupo Pão de Açúcar, em 2008 o CNJ estabeleceu que empresas e pessoas físicas podem cadastrar uma conta única para evitar os bloqueios múltiplos. O cadastramento é feito nos tribunais superiores e o interessado se compromete a manter valores na conta para atender às ordens judiciais. Já há 4.000 contas únicas cadastradas.

"O instituto é bom, veio para agilizar o processo. As pessoas escondiam os bens. Mas é preciso regulamentar, para evitar problemas", diz Marco Antonio Hengles, da OAB-SP. Ele cita procuradores de empresas que, não sendo devedores, têm o patrimônio pessoal bloqueado.

Rubens Curado, do CNJ, responde: "Se há problemas, devem ser discutidos caso a caso com o juiz. O sistema é um mero meio eletrônico. Isso também ocorreria com papel", diz.

Folha de São Paulo – 19-10-2009

Inserida por: Dr. Espirito Santo fonte:  Folha de São Paulo
Imprimir   enviar para um amigo
NOTÍCIAS DO DIA 20 DE FEVEREIRO DE 2017 – SEGUNDA-FEIRA
NOTÍCIAS DO DIA 20 DE FEVEREIRO DE 2017 – SEGUNDA-FEIRA PARA PUBLICAR SUA MATÉRIA NESTE BLOG http://sitereclamando.blogspot.com.br/BASTA ENVIAR UM E-MAIL PARA CONTATO@RECLAMANDO.COM.BR,INFORMANDO SEU NOMECOMPLETO,SEU E-MAIL, SUA CIDADE E ESTADO E S
NOTÍCIAS DO DIA 09 DE DEZEMBRO DE 2016 – SEXTA-FEIRA
sexta-feira, 9 de dezembro de 2016 NOTÍCIAS DO DIA 09 DE DEZEMBRO DE 2016 – SEXTA-FEIRA NOTÍCIAS DO DIA 09 DE DEZEMBRO DE 2016 – SEXTA-FEIRA Para publicar Blog:(http://sitereclamando.blogspot.com.br/)basta enviar sua reclamação ou matéria
Quais direitos o filho tem sobre a herança do pai separado?
Quais direitos o filho tem sobre a herança do pai separado? Recomende Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google+ Compartilhar no LinkedIn 3.857 views0 Salvar notícia ThinkStock/Elena Sychugina Mãos envolvem recortes no formato de uma família Fam
NOTÍCIAS DO DIA 25.11.2014-TERÇA-FEIRA- MSN ESTADÃO
NOTÍCIAS DO DIA 25.11.2014-TERÇA-FEIRA- MSN ESTADÃO Petrobras diz que foi notificada pela SEC para envio de documentos http://www.msn.com/pt-br/noticias/brasil/petrobras-diz-que-foi-notificada-pela-sec-para-envio-de-documentos/ar-BBfFstf Empresa alvo
COLUNA DO LEITOR - GAZETA DO POVO - SEGUNDA-FEIRA - 29/06/2014
Coluna do leitor Copa do Mundo 1 Publicado em 30/06/2014 | leitor@gazetadopovo.com.br Coluna do leitor Copa do Mundo 1 Publicado em 30/06/2014 | leitor@gazetadopovo.com.br
COLUNA DO LEITOR - GAZETA DO POVO - DOMINGO - 25/05/2014
COLUNA DO LEITOR Lava Jato 1 Parabéns ao juiz Sérgio Moro por sua coragem e determinação em não se curvar à determinação do STF. A convicção do juiz fez a alta corte recuar na decisão notoriamente contrária aos interesses maiores da Justiça. Homens assi
COLUNA DO LEITOR - GAZETA DO POCO - QUINTA-FEIRA - 15/05/2014
Coluna do leitor Transparência Publicado em 15/05/2014 | leitor@gazetadopovo.com.br É de extrema preocupação o levantamento realizado pela Gazeta do Povo que retrata pendências e irregularidades fiscais em 91% das prefeituras paranaenses. Isso
Liberdade de expressão prevalece sobre direito à honra
Em situações limítrofes de conflito entre a proteção à imagem e à honra e o direito à liberdade de expressão, deve-se sempre prestigiar a liberdade, uma vez que é perigoso para a democracia alargar os limites da censura para opiniões contrárias às decisõe
UM PAI DOAR UM IMÓVEL A UM FILHO SEM DAR NADA A OUTRO?
Internauta pergunta se a casa vendida por seu pai pode ser doada a apenas um dos filhos e se essa situação poderia ser contestada
Entendendo a usucapião de bens imóveis urbanos
Antes de desenvolver a conceituação das diversas modalidades de usucapião de imóveis urbanos, devemos entender a ideia principal do instituto, que é a proteção da função social da propriedade.

Total de Resultados: 873

Mostrando a página 1 de um total de 88 páginas

12345678910PróximoFinal

  Cadastre seu email e receba as novidades do reclamando.com.br
Cadastrar | Remover