Palavra Chave:


Conheça mais
    Faça sua reclamação
    Direitos de Família
    Direito Penal
    Direito Civil
    Direito Trabalhista
    Direito do Consumidor
    Direito Previdenciário
    Polícia
    Política
    Direito Procesual Civil
    Direito Previdenciário
    Direito Processual Penal
    Sua Saúde
    Noticias
    QUEM SOMOS
Arquivos
    Publicações
    Petições


Mata Atlântica é devastada e ninguém se importa
Não cabe no entendimento do senso comum como os governos não conseguem deter a destruição da Mata Atlântica que, entre...
Reclamação contra o Hospital Santa Izabel de Curitiba
Reclamação: ola,venho através deste e-mail,reclamar sobre o hospital santa Izabel,situado no bairro CIC.onde meu pai...
veja mais

 

03/02/2007 - Teto para auxílio-doença trará economia

Redação O Estado do Paraná [03/02/2007]

O governo estima que pode reduzir em até R$   500 milhões por ano as despesas com pagamentos de auxílios-doença a partir da aprovação pela Câmara do projeto de lei que estabelece um teto para os valores desses benefícios. Segundo o secretário de Políticas de Previdência Social, Helmut Schwarzer, essa é apenas uma parte da economia e que decorrerá imediatamente da limitação dos auxílios que passarão a ser concedidos pelas novas regras.

A proposta é uma das medidas de gestão defendidas pelo ministro Nelson Machado, e foi incluída entre as ações do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), para ajudar a controlar o déficit previdenciário no curto prazo, sem necessidade de reforma nas regras de aposentadoria.

A despesa mensal média do INSS somente com auxílios-doença em 2006 foi de R$   1,3 bilhão. O secretário reconhece que, a primeira impressão é que uma economia anual de até R$   500 milhões nesse contexto nada signifique, mas argumenta que essa medida não pode ser vista isoladamente. “Vamos ter que continuar melhorando a gestão da perícia médica para reavaliar periodicamente os segurados com auxílios e aposentadorias por invalidez, oferecer um programa de reabilitação profissional e ampliar fiscalização”, comenta.

Somadas a outras ações, como a aprovação definitiva da “Super Receita”, que fundirá as estruturas arrecadatórias da Receita Federal e da Secretaria de Arrecadação Previdenciária, diz o secretário, as medidas de gestão farão sentido para controlar o déficit previdenciário no curto prazo. Segundo ele, é por isso que o ministério está insistindo na separação contábil das contas do INSS, que tornará mais transparente o déficit e mostrará onde a melhoria de gestão terá efeito.

Schwarzer argumenta que haverá ainda uma diminuição de despesas para os cofres do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) decorrente do desestímulo a que os segurados permaneçam recebendo o benefício além do necessário. “Essa parte da economia é difícil de se mensurar em números porque é uma variável comportamental”, sustenta o secretário.

O teto que se pretende estabelecer para os novos auxílios, que são pagos pelo INSS aos trabalhadores quando precisam ficar afastados do trabalho mais do que 15 dias, será calculado com base na média das 12 últimas contribuições feitas pelos segurados à Previdência. A medida não poderá valer para quem já estiver recebendo o benefício. A intenção é evitar que a ajuda financeira temporária do instituto seja superior ao último salário do trabalhador.

Essa situação, definida pelo ministro Nelson Machado, como uma “disfunção do sistema”, foi identificada em 2004. A partir de uma “fotografia” dos 1,1 milhão de auxílios-doença concedidos naquele ano, os técnicos verificaram que em 51,2% dos casos analisados, o trabalhador ganhava financeiramente mais ficando no benefício do que recebendo o salário na ativa. “O auxílio não pode ser encarado como uma renda extra ou um seguro-desemprego”, resume o secretário.

Em 2005, o governo tentou fixar essa regra por meio de medida provisória, mas acabou derrotado no Senado e a proposta teve que ser reenviada ao Legislativo por projeto de lei. Após passar na Câmara de novo e aprovada pelos senadores, com alterações, a proposta agora terá que retornar à Câmara para mais uma e última votação dos deputados. Segundo o secretário, as mudanças não afetaram a essência do texto e, com a retomada dos trabalhos legislativos na última quinta-feira, a expectativa dos técnicos é que o projeto seja prioridade dos novos deputados.

Inserida por: Dr. Espirito Santo fonte:  O Estado do Paraná
Imprimir   enviar para um amigo
Fiz uma reforma no imóvel que eu alugo, tenho direito a indenização?
É muito comum nos contratos de locação a presença de uma cláusula estipulando que nenhuma benfeitoria realizada no imóvel pelo locador será indenizada, seja qual for sua natureza. Estipula-se ainda que qualquer modificação no imóvel, ainda que para valori
Preço dos imóveis começa a desacelerar
Divulgado ontem, o levantamento mais recente da entidade mostra que imóveis novos (prontos ou em lançamento) não apresentam tendência de redução de preços na capital. A expectativa é que em 2014 a valorização se mantenha na média de 10%.
Prazo prescricional para cobrar cheque ou promissória
Dois conhecidos titulos de crédito, cheque e nota promissória, são passíveis de execução, ou seja, no caso de inadimplência de pagamento, os dois documentos são aptos a serem cobrados e exigidos por meio de execução, por serem títulos líquidos, certos e e
Herança partilhada e sem complicações
Segundo a professora de Direito da Universidade Federal do Paraná Ana Carla Harmatiuk Matos, o processo depende da organização da própria família. “Nos casos mais simples, quando todos estão de acordo e conseguem juntar os documentos necessários rapidamen
Confirmado prazo de renovação locatícia
Pelo julgamento, concluiu-se que permitir a renovação por prazos maiores que 5 anos contraria a própria finalidade do instituto, uma vez que possíveis mudanças econômicas e outros fatores podem influenciar na decisão das partes em renovar, ou não, o contr
Francisco Christovam - Caso de polícia
A demora em capturar e responsabilizar quem incendeia ônibus contribui para o crescimento vertiginoso desse crime Apenas em janeiro deste ano, 30 ônibus das empresas concessionárias, três das permissionárias e mais nove veículos do sistema intermunici
STJ define valor de indenizações por danos morais
Por muitos anos, uma dúvida pairou sobre o Judiciário e retardou o acesso de vítimas à reparação por danos morais: é possível quantificar financeiramente uma dor emocional ou um aborrecimento?
AÇÃO DE REPARAÇÃO DE DANOS MORAIS AJUIZADA POR ORLANDO CINI JUNIOR CONTRA O SITE WWW.RECLAMANDO.COM.BR É JULGADA IMPROCEDENTE
Em atenção ao princípio da sucumbência, condeno o requerente ao pagamento das custas processuais e de honorários em favor do advogado da parte contrária, os quais fixo em R$     1.200,00 (um mil e duzentos reais), considerados o grau de zelo do profissiona
PAINEL DO LEITOR - FOLHA UOL - QUINTA-FEIRA
A seção recebe mensagens por e-mail (leitor@uol.com.br), fax (0/xx/11/3223-1644) e correio (al. Barão de Limeira, 425, São Paulo, CEP 01202-900). A Folha se reserva o direito de publicar trechos
EDITORIAL O acordo de Bali Publicado em 10/12/2013
As negociações tiveram vários lances difíceis, e um personagem sai fortalecido dessa rodada: o brasileiro Roberto Azevedo, diretor-geral da OMC

Total de Resultados: 873

Mostrando a página 2 de um total de 88 páginas

InícioAnterior1234567891011PróximoFinal

  Cadastre seu email e receba as novidades do reclamando.com.br
Cadastrar | Remover